domingo, 18 de agosto de 2013

Elucubrando sobre o tempo: Mais où sont les neiges d'antan?

Quietinha, sem poder fazer minhas costurinhas do jeito que eu gosto, por causa de uma cirurgia de catarata, elucubro sobre o Tempo. Qual foi o estopim causador destas elucubrações? Foi uma reflexão feita pela personagem da Maggie Smith, em Downton Abbey, na festa de Natal da 2ª temporada, em que os amigos e vizinhos são convidados. Ela conversa com o filho e faz considerações sobre as pessoas, os novos tempos e pergunta, quase que  para si mesma: "Mais où sont les neiges d'antan?". Volto às aulas magistrais de francês da Faculdade, com  a Marcella Mortara. Le Moyen Âge, com François Villon e a sua Ballade des dames du temps jadis, e o seu refrão "Mais où sont les neiges d'antan?", referindo-se ao tempo que passa e que não volta mais - Onde estão as neves de outrora? 
François Villon não foi flor que se cheirasse: ladrão, boêmio e ébrio, assim é descrito por seus estudiosos. Nasceu em Paris, em 1431 e, simplesmente, sumiu em 1463 - para onde, ninguém sabe, ninguém viu. Para saber mais sobre os 32 anos de vida conturbada: aqui.  
A tradução que reproduzo aqui foi feita pelo escritor Modesto de Abreu, e copiada do blog Acontecimentos, do poeta e ensaísta Antonio Cícero:

Selo - 1946


Balada das damas dos tempos idos

Dizei-me em que terra ou país

Está Flora, a bela romana;
Onde Arquipíada ou Taís,
que foi sua prima germana;
Eco, a imitar na água que mana
de rio ou lago, a voz que a aflora,
E de beleza sobre-humana?
Mas onde estais, neves de outrora?

E Heloísa, a mui sábia e infeliz

Pela qual foi enclausurado
Pedro Abelardo em São Denis,
por seu amor sacrificado?
Onde, igualmente, a soberana
Que a Buridan mandou pôr fora
Num saco ao Sena arremessado?
Mas onde estais, neves de outrora?

Branca, a rainha, mãe de Luís

Que com voz divina cantava;
Berta Pé-Grande, Alix, Beatriz
E a que no Maine dominava;
E a boa lorena Joana,
Queimada em Ruão? Nossa Senhora!
Onde estão, Virgem soberana?
Mas onde estais, neves de outrora?

Príncipe, vede, o caso é urgente:

Onde estão elas, vede-o agora;
Que este refrão guardeis em mente:
Onde estão as neves de outrora?



Nos itens de 38 a 47 deste link, há explicações sobre as damas às quais Villon se refere na Balada.
Enquanto minha visão de perto vai se adaptando, vou elucubrando ... Já escutei mil vezes a Nana cantando Resposta ao tempo, canção elucubrativa por excelência (E o tempo se rói com inveja de mim...). Ontem pensei muito nos versos do grande Antonio Machado: Todo pasa y todo queda, pero lo nuestro es pasar, pasar haciendo caminos, caminos sobre la mar ...

(por Cecilia, pensando também no Caetano: 
De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...)

3 comentários:

simone arrais disse...

Então vc está vendo Downton Abbey também, hein? Magistral, não? Ótimas elucubrações, de vez em quando também me perco nelas... Sofro de nostalgia aguda, mas algo sempre me impulsiona para o futuro, é como um duelo interior. Quando o barulho tá muito grande por dentro, silencio por fora e bordo. Ou costuro. Ou faço bolo. Um beijo e uma linda semana. Melhoras!

Atelier Caseiro disse...

Me prendi na leitura deste post e percebi que a leitura por vezes é minha fuga, ou meu encontro! Por hora lazer, noutras obrigação. Leitura obrigação? Não. É prazer, é aprender e apreender a informação, ter pra si o conhecimento do desconhecido, ou apenas o reencontro com o já sabido!
Sim, eu viajo lendo, as vezes vou longe, as vezes nem saio do lugar.
Boa recuperação Cecilia. Um beijo, Ana.

Toca do trico e croche disse...

Minha querida !
Obrigado pelo gentil comentário.
Vejo que você também esta se recuperando de uma cirurgia de Catarata.
Minha cirurgia foi quinta-feira passada.
A claridade ainda esta me incomodando muito...coloquei lente multifocal e não estou vendo bem de perto. (Isto me preocupa!!!)
Quanto ao colírio ? Realmente é incomodo o número de vezes, que temos de fazer uso do mesmo, ao longo do dia.
Fazer o que !!! Um mal mais que necessário.
Cuide-se direitinho... viu amiga !
Tenho certeza que em breve estaremos 100%.
Forte abraço!


Sonia Faria