quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Elucubrações de verão

Pois é. Leio no jornal: "Rio 'sufoca' com sensação térmica de 48° C e lota praias". "Lota praias" não me interessa. Só consigo ler "sensação térmica de 48° C". Já estou com a passagem de volta para o Rio: domingo, 28/2.
Há dias venho pensando numa canção dos anos 60, chamada La Madrague, cantada pela Brigitte Bardot. Um trecho inesquecível: "Le train m'emmènera vers l'automne/ retrouver la ville sous la pluie" (O trem me levará de volta para o outono, para reencontrar a cidade sob a chuva). Para entender por que ligo o verão carioca ao outono parisiense:
1 - La Madrague é a casa de veraneio da Brigitte, em Saint-Tropez. Atualmente ela vive lá, enrugadinha - acho o máximo! Não cedeu à tentação do Botox que torna os rostos inexpressivos, nem às plásticas numerosas de artistas que, de tanto fazê-las, quase nem conseguem se sentar!!!! - com os bichinhos dela e o marido.  No auge da carreira, ela passava os verões lá e voltava no outono para Paris.
2 - Nos versos, ela, poeticamente, não volta para Paris, mas para o outono de Paris, com sua chuva.
3 - Aí entro eu: não vou voltar para o Rio, vou voltar para o verão carioca, para o calor e a sensação térmica de 48° C. 
Bom, é a função poética da linguagem: O avião me levará de volta para o verão/reencontrar o calor sufocante da cidade. Em vez de: Vou voltar de avião para o Rio. Está fazendo muito calor, e a sensação térmica é de 48°C.
















Escorreguei muito na maionese?
Aí pensei assim: por que não fazer nossas colchas só com o forro de tecido de algodão, seja um brim ou um tecido encorpado, mas sem a manta acrílica ou lá o que seja? Sei que o "american quilt" fica lindo, todo acolchoadão, com aqueles desenhos maravilhosos. Não estou descartando o método, de jeito nenhum, é lindo! Mas acho que de vez em quando, a gente pode pensar no nosso clima de verão e dar uma refrescada. Já falei sobre isso aqui.
No sul do Brasil, faz frio; mas o verão, não é brincadeira, não. O inverno do Rio (junho, julho) é uma delícia.
Podemos fazer nossas colchas de duas maneiras, e creio eu, das duas formas serão sempre lindas!
Aliás, a Rosa Pomar, do blog A Ervilha cor de rosa, nesta postagem, se manifesta a respeito. A colcha da Helô, feita pela Helena, segue essa linha, sem a manta acrílica:

Colcha de solteiro para menina - coin quilt #2

Em tempo, o autor da canção La Madrague se chama Laurent Voulzy. A letra é esta.
(por Cecilia)

8 comentários:

Anna disse...

Ontem fez um calor insuportável!!
Diz a lenda que entre hoje e amanhã uma frente fria vai chegar e a máxima não passará dos 30oC.Uhhhhhuuuu!!
Q pena quando vc chegar ,no domingo, a frente fria já deve ter ido e aí... calor !
Adorei a colcha linda!!!
Quando tiverem retalhos sobrando lembrem-se de mim!
Beijocas e Boa viagem!

milu disse...

Q post lindo...Adorei a analogia com a musica de Brigite...Ela é umas das pessoas que admiro mto, justamente pelo q falastes, soube envelhecer com sabedoria e dignidade. Tambem sou de pleno acordo de fazermos uns quilts mais fresquinhos, afinal adapta-los ao nosso clima é uma boa pedida...Mas ainda cultivamos Papai Noel com roupas de lã... Um bj gde.

rosana sperotto disse...

Cecília, voltei ontem do Espírito Santo, depois de uma semana de aventuras deliciosas com a Laély, e quando fiz a conexão no Rio, tive a sensação de que não suportaria tamanho calor por mais do que algumas poucas horas. Então era isso: os 38 graus anunciados passavam para 48 na sensação térmica. Como mais um presente da viagem, fui recebida no RS com uma chuvinha e hoje, agradeci várias vezes o outono que parece começar a dar as caras por aqui, para minha grande alegria. Mais que a primavera, adoro o outono, porque ele anuncia o inverno, e a vida volta a ter paz. Abraço!

Ruby Fernandes disse...

Que visão mais linda do verão carioca! Temos uma super artesã poetiza por aqui? Fiquei ainda mais sua fã!!!
Bjo querida *Ü*

Ruby Fernandes disse...

Cecília querida, será um prazer te conhecer viu? Em maio me avise sim, podemos marcar um café.
Bjo bjo *Ü*

Santinha disse...

A analogia esta certissima o que mostra que vc. também é um luxo!
Tambem acho que a Brigit envelheceu bem e com bastante dignidade, a musa já sabia das coisas...
Não fui e nao sou B.B. mas ando tentando revesar as temepraturas; se tá SENEGAL eu deixo para depois.
E assim estou sempre com o "ar condicionado natural" ligado.

Quanto a idéia da colcha concordo com voce. Sem manta e fim de papo!
bjk

Nosso Futuro Lar disse...

Aff meninas quanta coisa mais linda! Que trabalho mais caprichado e de bom gosto! Parabéns.

Marina Abreu disse...

Eu apoio a campanha da Crafty Mom (eheh) do quilt tropical, sem recheio! Faz muito sentido e pude comprovar com meus próprios dedinhos que tb ficam lindos!