sábado, 21 de dezembro de 2013

Meu villancico preferido

Já escrevi sobre  o Carlos Núñez nesta postagem: Mais retalhos urbanos - Dublin e Santiago de Compostela. No CD "A irmandade das estrelas" (não se enganem; esse título não está escrito em português, mas em galego!), a faixa "Villancico para la Navidad de 1829" me leva a altas elucubrações. Nesta época de Natal, sempre a escuto, com grande alegria. 


O villancico  é um gênero musical muito popular na Espanha e nos países latino-americanos. É cantado ou tocado na época do Natal. Teve origem no séc. XV e seu apogeu foi no Renascimento. Inicialmente era cantado em festas populares, sem alusão ao Natal; aos poucos, começou a ser cantado nas igrejas e a referir-se especialmente ao nascimento do Menino Jesus. Há um bom histórico do villancico neste link.
Minha curiosidade foi despertada pelo título " para la Navidad de 1829". Vamos a  Mondoñedo, na província de Lugo, no nordeste da Galícia (ou Galiza, se preferirem). A catedral de Mondoñedo é monumento nacional e foi construída no séc. XIII.  O Villancico para la Navidad de 1829  foi composto, em 1829, pelo mestre-capela da catedral de Mondoñedo, José Pacheco. José Pacheco nasceu (1784) e morreu (1865) em Mondoñedo. Começou ainda criança no coro da catedral e foi mestre-capela, desde os 21 anos, por sessenta anos.  Meu pensamento voa (ai, como elucubro): 1829 - é o Romantismo a pleno vapor. E me vem à memória minha poetisa preferida, Rosalía de Castro (1837-1885) que, provavelmente nunca conheceu José Pacheco, mas que por alguns anos foi sua contemporânea. Desta vez fui longe! Mas, o que posso fazer? (Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, Gabrieeeeela)!

Selo de 1968
Dela, Rosalía (falei dela na mesma postagem em que falo do Carlos Núñez), em galego (ela escreveu em espanhol também) - uma das suas "Vaguedades" (Divagações). Só pra constar, Rosalía é considerada a fundadora da literatura galega moderna.  

Así as ideas 
Loucas que eu teño, 
As imaxes de múltiples formas, 
De estranas feituras, de cores incertos, 
Agora asombran, 
Agora acraran 
O fondo sin fondo do meu pensamento. 

Divagando, elucubrando ... Enfim, isso tudo aí em cima faz parte da minha colcha de retalhos existencial. Saudades daquela terra linda! Bon Nadal! 
(por Cecilia, com nostalgia de Natais passados)



4 comentários:

Nina Dias disse...

Minha amiga querida, vim te desejar um feliz Natal e um ano novo de saúde e realizações! bjs Nina

Nina Dias disse...

Cecília e Helena, passei pra deixar o nome de meu novo blog, o outro estava com problemas técnicos!
Agoraé:
www.ascosturinhasdanina.blogspot.com.br
Espero vocês lá, bjs Nina

simone arrais disse...

Que presente de Natal! Já estava com saudade de suas elucubrações!!!!!!!! Bjs!

Vandalu artes manuais disse...

confesso que não conheço nem metade dos assuntos que você fala . . .mas amo teus posts . . . eles me lembram crônicas delícia !
parabéns !