domingo, 31 de março de 2013

A Dama e o Unicórnio (elucubrações medievais)

Cá estou eu às voltas com as minhas elucubrações. De volta ao meu querido Bairro Peixoto, para ficar um mês e um pouquinho mais, revejo meus livros queridos mais antigos, folheio minhas revistas de artesanato ... Numa das Labores del Hogar (nº 1 en labores desde 1926), lá no finalzinho, na seção Museos Textiles, encontro uma referência a Tapices Medevales. O texto se refere a uma tapeçaria chamada A Dama e o Unicórnio (no texto em espanhol, La Dama del Unicornio), que eu conheço desde sempre, mas que voltou à minha mente depois que li o livro da Tracy Chevalier, A Dama e o Unicórnio. A tapeçaria pode ser vista no Museu de Cluny, oficialmente chamado de Museu Nacional da Idade Média (Musée National du Moyen Age). A Wikipedia também informa sobre o museu. Tracy Chevalier é também autora do lindo Moça com Brinco de Pérola, tranformado em filme, com a Scarlet Johansson e o Colin Firth (lindo, lindo, lindo!!!):


Em A Dama e o Unicórnio, a autora tece toda uma trama de ficção a partir de um fato verídico: a encomenda feita pelo jurista Jean Le Viste, no final do século XV, possivelmente em 1490. O resto é ficção.

 

A própria autora declarou que adora fantasiar sobre como nascem as obras de arte. 
A tapeçaria está catalogada como "millefleurs", ou mil flores, pois o fundo das imagens está semeado de centenas de pequenas flores bordadas. Já escrevi sobre esse estilo numa postagem de abril, de 2011, na qual elucubrei sobre o ponto de cruz.
As seis tapeçarias representam os cinco sentidos  - paladar, visão, tato, olfato, audição -  e "À mon seul désir" ("Ao meu único desejo"), que os estudiosos interpretam como sendo o amor ou a compreensão. O unicórnio também conhecido como licórnio, é um animal mitológico com forma de cavalo, geralmente branco, com um único chifre em espiral. Sua imagem está associada à pureza e à força. Segundo as narrativas são seres dóceis; porém são as virgens que têm mais facilidade para tocá-los. Para saber mais, aqui. Vamos às tapeçarias:


O primeiro sentido é o paladar. A dama  prova uma amêndoa confeitada. Quem segura o recipiente com todas as amêndoas é sua aia.
O segundo sentido é a visão. A dama segura um espelho no qual se reflete a imagem do unicórnio.  Ao seu redor, aparecem animais domesticados. A dama não corre perigo, nem com a presença do leão.
O tato: a mão da dama acaricia o chifre do unicórnio.
A dama está trançando uma coroa de flores, e o cheiro das flores representa o quarto sentido: o olfato.
O último sentido, a audição: a dama toca um órgão portátil.
A última tapeçaria é mais larga que as demais. A aia abre um pequeno baú, no qual a dama coloca o colar com o qual aparece nas demais peças. A sua esquerda um banco com bolsas de moedas. São diversas as interpretações: a dama, ao guardar  o colar no baú estaria expressando a renúncia às paixões despertadas pelos outros sentidos, e como uma livre afirmação da vontade; ou representaria o sexto sentido da compreensão; ou seria uma representação do amor ou da virgindade...

Em todas as tapeçarias pode ser visto o brasão da família Le Viste:



Que marrravilha! O endereço do Museu Nacional da Idade Média é:
6, place Paul Painlevé
75005 Paris
Website: www.musee-moyenage.fr

Bom final de domingo! Feliz Páscoa da Ressurreição! Chag Pessach Sameach!

 (por Cecilia)

3 comentários:

simone arrais disse...

Ai, Jisuis, morri com esse post! Eu adoro aprender sempre que venho aqui, me delicio com a forma carinhosa como os temas são tratados, é quase como se eu estivesse tendo uma aula com a minha professora preferida... Agora que já babei o computador todo, aproveito e te desejo um feliz final de domingo de Páscoa. Bjs!

Atelier Caseiro disse...

A Simone já disse tudo, aprender sempre é muito bom, gostei muito do post. Sobre tapeçarias, penso sempre no tempo e na dedicação da artesã, as vezes até mais de uma pessoa.
Que vocês tenham tido um lindo Domingo do Páscoa e que a renovação perpetue por todo ano.
Bjo, Ana.

Retalhos da Lu disse...

Adoro suas elucubrações!!!! São verdadeiras aulas, um banho de cultura!!!!! Um grande abraço e votos de uma feliz e santa páscoa.