quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Sobre costurar

 Meninas bordadeiras
Um flashback: Heloísa na aula de bordado da tia Ana (2010)

Minha pequena sempre demonstrou interesse pelas manualidades, mas, naquele dia, ela me deixou muito feliz. Disse que queria aprender a fazer uma bolsa. Primeiro, disse que seria para pôr à venda na lojinha. Depois, pensou bem, e pediu para fazer a bolsa para ela mesma. O resultado, vocês conferiram neste post aqui. Fui explicando a ela que costurar é mais que costurar. É preciso uma enorme paciência, disciplina, sensibilidade para escolher e combinar os tecidos. Para ser mais didática, disse a ela que o processo todo se constituía das seguintes partes:
1. Modelar a bolsa no papel (tenho preferência pelo papel manteiga).
2. Escolher os tecidos que irão compor o projeto: tecido principal, tecido do forro, alças, manta acrílica para o recheio etc. Ela mesma escolheu os tecidos da bolsa.
3. Cortar as peças -- tia Sandra diz que o segredo da boa costura está aqui, na mesa de corte!
4. Passar as peças -- como diz crafty-Mom, o ferro de passar é o nosso melhor amigo--, costurá-las e passá-las novamente.
5. Costurar tudo junto pelo avesso (essa parte fascina qualquer criança... parece mágica!), virar e desvirar várias vezes pra conferir se está tudo encontradinho, e... voilà! Mais uma bolsinha saindo do forno!

MiniBaldinho da Helô

Sobre modelar a bolsa: há vários modelos disponíveis no mercado, mas eu prefiro, eu mesma, modelar as minhas bolsas. O mais interessante é que, a partir de um molde básico -- no caso, o da bolsa baldinho -- é possível criar várias versões diferentes da mesma bolsa. A da Helô, por exemplo, é uma versão miniatura da bolsa baldinho original. A da Vivi é uma versão maternidade, com a boca mais larga. A da Kél, até agora inédita aqui no blog, eu apelidei de 'minibaldinho', por razões óbvias:

MiniBaldinho Retrô
Aplicação de renda feita à mão por crafty-Mom

Costurar e carimbar
Minibaldinho retrô da Kél: seguiu hoje para o Guarujá

Sobre a escolha dos tecidos: você pode ter o molde mais lindo do mundo, ser a costureira mais ágil e caprichosa do mundo, mas... se não tiver sensibilidade para combinar cores e padrões... não vou dizer "pode esquecer" porque estaria sendo cruel demais, mas digo: vai estudar, vai observar, namorar os projetos lindos do Flickr, das revistas de craft, enfim... bom gosto é algo que também se aprende! Para o baldinho (modelo original) da Kél, por exemplo, escolhi dois tecidos principais de designers diferentes ("Los Novios", do Alexander Henry e "Owl", da Alice Kennedy). O tecido do forro é brasileiro (adoro a textura!), da Coats Corrente para Cataguases. Gostei muito muito do resultado!

Baldinho da Kél

Baldinho da Kél
"Los Novios", Alexander Henry: estampa apaixonante! Na base, "Owl", Alice Kennedy
Os pequenos detalhes que tanto amamos!

E vocês? Têm alguma dica de ouro ou ritual sagrado que gostariam de compartilhar?
(por Helena)

11 comentários:

Viviane Basile disse...

Ai que orgulho de ser sua amiga!!!!!

Isabella Morais disse...

Ai que fofa!

As suas peças são maravilhosas!

Simone Arrais disse...

Querida, é isto. Qualquer coisa a mais é inútil ser dita. Adoro seus trabalhos e vou me presentear este ano com uma dessas. Ah, se vou! Bjs!

Ruby Fernandes disse...

Aplaudo suas palavras amiga!
A parte da escolha dos tecidos é séria mesmo, conheço pessoas que simplesmente não tem o dom. Costuram bem, mas o trabalho deixa muito a desejar nesse ponto, é uma pena...
Você não corre esse risco, amo as composições que vc faz!
bjão =)

Andréa disse...

Oi, Helena.
Também concordo. Estampas, cores e texturas devem conversar entre si. Seria como combinarmos roupas, sapatos, bolsa e acessórios. Composição é tudo!
Seus trabalhos estão lindos! Como sempre, aliás.
Um beijo,
Andréa.

Luísa Silva disse...

A parte da escolha é a mais interessante do projecto mas ao mesmo tempo a que intimida mais a maior parte das pessoas. Eu recomendo sempre escolher apenas um tecidos de que se goste muito e que tenha personalidade. Juntar depois outros que o façam "brilhar" e que não o ofusquem.

bjs

Luísa

Cecilia e Helena disse...

Meninas, agradeço muito os elogios! Adoro quando vcs vêm me ver!
Luísa, adorei a sua dica!
Simone, será uma honra costurar pra vc!
Mil beijos,
Helena

House of Pinheiro disse...

querida, so pra te dizer que te nominei para o sunshine award.


http://houseofpinheiro.blogspot.com/2012/02/sunshine-award.html

harumi disse...

nossa, que aula ótima de costura! adorei!
realmente, a escolha da combinação de tecidos e estampas é um item à parte. nem sempre os melhores e mais caros tecidos são garantia de boa combinação. e depende também do nosso humor no dia: já tive dias de costura em que nada ficava bom e no dia seguinte, usando os mesmos tecidos, achava tudo lindo! ou dias em que uma cor predomina sobre as outras.
costurar é meio mágico, né não? :-)
beijoca.

Cecilia e Helena disse...

Harumi, digamos que é um processo um tanto complexo kkkkk
Beijos,
Helena

Helena disse...

Olá, sou nova nesse mundo de blog e aprendi a costurar faz 4 anos. Vc tem toda razao quanto a combinação dos tecidos - isso é uma verdadeira arte. Parabens pelo blog lindo e pelo talento, que pelo que vejo é de familia.
Um grande bjo.
Helena
http:/mariatilda.blogspot.com/

Uma curiosidade: Tenho 3 filhos sendo 2 meninas. Queria muito que minha filha se chamasse Cecilia, mas acabei me deixando levar pelo marido e optamos por Beatriz e Bárbara. Acho Cecilia um nome lindo (forte e delicado ao mesmo tempo).