domingo, 5 de fevereiro de 2012

Elucubrações matinais num dia de domingo - culpa da Simone Arrais

Ontem à noite visitei o blog Linhas Matizadas, da querida Simone Arrais. A postagem tem um título interessante: "Ter etiqueta é ser cool". A Simone faz um jogo com os significados da palavra: "Eu acho muito moderna a pessoa que tem etiqueta e isso vai além de saber usar os talheres corretamente."; mais adiante: "Enquanto essa etiqueta não vem, vou demarcando meu território com outras pequenas etiquetas que materializam esses três anos de projetos e desafios: agora assino meus trabalhos e fico mais confiante de mim mesma e da minha modernidade." Vale a pena ler.
Fui me deitar, pensando no uso da palavra etiqueta. Agora de manhã consultei o Caldas Aulete on-line: 1. Conjunto de regras, de normas de conduta, que devem ser observadas na corte real ou em solenidades e festas oficiais de que participam altas autoridades.
2. Conjunto de normas de conduta us. no trato entre particulares, esp. em ocasiões formais.
3. Marca ou condição de produto feito ou vendido por fabricante ou lojista de prestígio (roupas de etiqueta)
4. Marca, rótulo, adesivo etc. que identificam ou têm informações sobre os produtos que os contém: Etiqueta de roupa, livro, bagagem, prazo de validade etc.
[F.: Do fr. étiquette.]

Por quê? Por quê?
Vai aqui um resumo do que li por esse mundo virtual.
O termo deriva do francês antigo estiquete, um papelzinho que acompanhava alguns produtos, para identificar sua procedência, peso ou conteúdo. A palavra aparece na França por volta de 1435. Foi só no século XVII, na corte de Luís XIV, o Rei Sol (nasceu em 1638 e reinou de 1643 a 1715), que o termo etiqueta passou a significar conjunto de regras, etc.etc., lá do item 1 do Caldas Aulete.

Luís XIV - por Hyancinthe Rigaud (1701)
As étiquettes (já com essa grafia, que é a atual) eram pequenos papeis distribuídos aos nobres, quando chegavam ao pátio do palácio, nos quais estavam as instruções de como se portar na corte, que lugar deviam ocupar à mesa e outras regras de conduta diante do rei, da rainha, essas coisas ... Não é interessante? (Olhei num dicionário etimológico francês para ver a data: foi por volta de 1690 que a palavra aparece com esse significado). Achei interessante também o que vem escrito na Wikipedia francesa (tradução minha, muito livre): "A etiqueta pode ser considerada como uma polidez mínima exigida para evitar conflitos e ela, como tal, constitui um aspecto importante da ética social. (...) Algumas pessoas consideram a etiqueta como uma restrição inútil da liberdade de expressão, enquanto outras consideram os que não seguem as regras de etiqueta como grosseiros e vulgares. Por exemplo, usar um pijama num casamento numa cattedral pode ser uma expressão da liberdade de um convidado, mas pode, ao mesmo tempo, levar os noivos a desconfiar que o convidado está zombando deles ou da seriedade do seu casamento." 

ler-com-prazer.blogspot.com
Simone, muito obrigada! Adorei saber mais um pouquinho e poder dividir com quem aparecer por aqui.
(por Cecilia)

3 comentários:

Simone Arrais disse...

Oh, Cecília! Que honra, garota! Inspirar uma pesquisa assim não estava nos meus planos, mas que valeu a pena, lá isso valeu! Estes seus posts sobre a etimologia de palavras e expressões são, disparados, os meus preferidos. Inspirar um deles?? Uau!!! Fez meu domingo feliz! Bjs, bjs! Obrigada pelo carinho!

Artes da Jane disse...

Oi amiga!!!
Estava passeando pela net e encontrei teu blog, que me encantou!!
Sou do blogueiras unidas, n° 683,vem me visitar tbém, meu blog está cheinho de graficos e moldes e em breve estou preparando um sorteio de mimos...ah,seja minha seguidora e coloque meu link em sua lista de blog, assim aumentam tuas chances na hora do sorteio!!
Te aguardo aqui.. bjus
JANE
http://artesdajanemarcia.blogspot.com

Gislene Ellery disse...

Concordo com a Simone! Adoro esses seus posts! E adorei esse com toda essa pesquisa etmologica sobre etiqueta! Obrigada por me enriquecer! Beijinhos!