terça-feira, 12 de abril de 2011

Para uma menina bordadeira

Há pouco tempo, recebi uma encomenda bem específica: "uma necessaire igual às que você faz, só que maior, com alças, pra poder colocar minhas linhas de bordado". Como se trata de uma cliente muito especial, as "mãozinhas nervosas" ficaram mais cheias de dedos do que os habituais. Que tecido? E o forro? As alças, de que comprimento? Após várias consultas à mãe da interessada, que acabou sugerindo tecido e forro (marrom com bolinhas, as alças do mesmo tecido do forro), o resultado foi este:

Para uma menina bordadeira!
(largura da abertura: 24 cm; largura da base: 29 cm; altura: 17 cm)
Encontrei esse tecido marrom com bolinhas cor de rosa (ai, não tem mais hifen, né?), que achei mais interessante do que o simples marrom com bolinhas brancas.

Para uma menina bordadeira!

Em vez do meu tradicional fitilho de camurça, usei um fiozinho encerado, com bolinhas coloridas e enfeite de madeira, vestígios de minhas aulas de bijuteria. As bijuterias não foram adiante, embora algumas amigas ainda desfilem com colares daquele período.

Uma menina bordadeira
( aprendendo a bordar com a tia Ana)
 Gente, não é por nada, não, ou melhor, é por tudo, sim. Isso tudo me comove muito. Fico me lembrando da mamãe, menina bordadeira; de mim mesma, na escola, bordando meus guardanapos para embrulhar a merenda. Que pena não haver mais aulas de bordado nas escolas! E me orgulho da Helena, que começou a bordar agora, continuando a tradição da família, passando esse talento para os "dedinhos minúsculos" queridos da minha cliente preferencial: Helô, minha neta querida, minha flor de maracujá do fundo do meu quintal. Vovó Ciloca te ama muito, florzinha! Meu desejo é que você vá traçando lindos bordados pela vida afora!
(por Cecilia, muito faceira e mais vovó que nunca)

10 comentários:

Ana disse...

Que coisa boa ganhar um presente da vovó!
Que a sua neta borde muito e com prazer.
Bjus

Cacarol disse...

Cacarolinha é uma personagem,tal como muitas outras que andam por aí!
As suas principais características são a doçura e a delicadeza!
É também bem formada e incapaz de fazer ou dizer mal de alguém...
Adora pessoas e personagens!
É ingénua...
Pede tudo que precisa,incluindo opiniões/sugestões!
Detesta incomodar ou chatear...
Não é burra nem está em vias de extinção!
Veio para ficar!
Atreve-te e segue a Caracolinha~~~~

Ruby Fernandes disse...

Que maravilha ter uma avózinha tão doce e delicada assim!
Sorte da Helô e da Helena também, é claro!
bjo Cecília =D

Ana disse...

Oi, Cecília
Voltei para agradecer a visita!
E o elogio também.
Bju grande

Giovanna Patchwork disse...

Parabéns Cecília!!
Vó é mãe com açúcar mesmo!!
A Helô vai adorar, a bolsa ficou uma fofura!
Beijos!

A Casca da Cigarra disse...

Como diz a Roseana Murray: avó tem um pouco de fada, um pouco de árvore encantada...
Que post mais lindo. A bolsa ficou uma graça e Helo deve ter ficado maluca de ansiedade esperando essa vó talentosa chegar. Bjo

PatchJoana disse...

Porque os quilts são eternos?
Tem um exemplo no meu blog.
Beijo

Laély disse...

Acho tão linda essa paixão, passada de mãe para filha, de filha para neta...
Sou do tempo em que nas escolas ainda se ensinava "Educação para o Lar". rs
Falando em escola, estou tentando entender e apreender essas novas regras no uso do hífen. Que complicadinho, hein? Via das dúvidas, salvei-as nos meus favoritos e, vez em quando vou lá, atualizar-me.
Nem preciso dizer que esse be-a-bá( é com hífen, professora? rs) das linhas será guardado, para quem sabe(?) um dia, compor algum quadro de recordações da Helô!
Demorei, mas não esqueci, viu? rs
Abraço, meninas!

Teresa Aparecida de Aquino Soranso disse...

Olá, Cecília, que presente mais doce! Acho lindo essa aprendizagem passada de geração em geração. Pena que hoje em dia isso é muito raro.Eu ganhei de minha mãe e também de minha avó os livros de bordados delas pq viram que eu seria a filha/ neta que continuaria com a tradição. E estavam certas. Também acho que as escolas não podiam ter perdido essa tradição, talvez pudesse ser uma atividade não obrigatória. Muitas alunas tinham interesse em aprender, mas não tinham quem ensinasse.
De todos os pontos gosto mais do ponto cruz e o quadro do gato do post anterior é maravilhoso. Parabéns!
Bjs

Atelier Caseiro disse...

Que delicia ler este post! Saber que os bordados seguirão adiantes, ver a alegria da Ana em ensinar as pequenas mãozinhas, vovós cuidando do material, mamães valorizando as artes! Todos nós só temos a ganhar com isso! A-DO-RO!
Tenham uma feliz Páscoa, e estou seguindo o blog a partir de agora.
Bjo, Ana.